▸ Agenda Cultural ▸ Artigos ▸ Carnaval ▸ Celebridades ▸ Cotidiano ▸ Cultura ▸ Destaques ▸ Economia ▸ Educação ▸ Entretenimento ▸ Esporte ▸ Eventos Sociais ▸ Festival Folclórico de Parintins ▸ Internacional ▸ Justiça ▸ Lazer ▸ Meio Ambiente ▸ Nutrição ▸ Odontologia ▸ Polícia ▸ Política ▸ Religião ▸ Saúde ▸ Tecnologia ▸ TRANSPORTES ▸ Turismo

Notícias
Compartilhar Imprimir

Cotidiano | LEILÃO | 22/05/2019 | 11:51 | Por: Portal Flagrante

Aberta consulta pela internet a 32 mil itens que serão leiloados pelo Estado

Pagamentos poderão ser feitos por meio de boleto, no crédito e no débito

 

Os interessados em participar do Leilão de Bens Móveis do Governo do Amazonas já podem consultar os itens disponíveis pelo site www.leilaomanaus.com.br. O leilão é organizado pela Secretaria de Administração e Gestão (Sead) e será realizado nos dias 31 de maio e 1º de junho, às 9h, na sede da Leilão Manaus, localizada na avenida Torquato Tapajós, 5.050.

 

Serão 32 mil itens, bens considerados inservíveis, pertencentes ao patrimônio do Estado do Amazonas – carros motos, pequenas embarcações, entre outros. O leiloeiro oficial contratado é Hugo Moreira Pimenta, com experiência no mercado e selecionado por meio de licitação.

 

Com a venda dos bens, o Estado espera gerar uma receita entre R$ 2,5 milhões e R$ 3 milhões, segundo a titular da Sead, Inês Carolina Simonetti. “Nós temos quase 7 mil metros quadrados de área ocupada com bens inservíveis. Com o leilão, a gente devolve esses bens parados em forma de receita para o Estado”, ressaltou a secretária.

 

Além de saber quais bens serão disponibilizados, o interessado em participar tem acesso a outras informações importantes, disse o coordenador de Patrimônio da Sead, Sander José Couto da Silva. “Pela internet, poderá obter informações sobre o valor da avaliação, lance inicial e outras especificações do produto, como marca, modelo e ano de fabricação. É uma forma de contribuir com o equilíbrio das contas públicas”, apontou.

 

Cadastro e visitação – Quem for participar do leilão precisa se cadastrar no site da Leilão Manaus. “Cadastrado, o interessado em participar do leilão está habilitado para visitar o local onde os bens estão alocados. No cadastro online são prestadas informações pessoais e profissionais”, disse o leiloeiro Hugo Pimenta. Segundo ele, a Leilão Manaus conta com 30 mil cadastrados. O edital do leilão estará disponível no site da Leilão Manaus e nos locais de visitação.

 

Os interessados poderão visitar os lotes até o próximo dia 30 de maio (exceto no domingo), das 9h ao meio-dia (segunda-feira a sábado) e das 14h às 16h (segunda-feira a sexta-feira). Os veículos a serem leiloados estão disponíveis na Leilão Manaus, na avenida Torquato Tapajós, 5.050, Flores.

 

Há outros três depósitos da Sead com materiais que serão leiloados, nos endereços: avenida Torquato Tapajós, s/nº, Flores, ao lado do Departamento de Engenharia e Transporte da Secretaria Municipal de Educação (Semed); avenida Torquato Tapajós, 5497, Tarumã, ao lado da Videolar; e avenida Mario Ypiranga, 3.280, Parque Dez, ao lado da Universidade Paulista (Unip).

 

Quem adquirir um dos lotes terá as opções de pagar no boleto e no cartão. No débito, haverá acrescimento de 5%. Na opção crédito, poderá pagar em uma única parcela, com acréscimo de 10%; a partir da segunda parcela, além de 10%, haverá o acrescimento de 5% por parcela.

 

Inservíveis – Os bens móveis considerados inservíveis para o Estado, que estão disponíveis para o leilão, são todos aqueles que não têm mais utilidade para os órgãos públicos. Os bens possuem vários níveis de desgaste e sofreram avaliação do leiloeiro e da Comissão de Leilão.

 

Os bens inservíveis são classificados como ocioso, recuperável, antieconômico e irrecuperável. O ocioso, normalmente, está em boas condições de uso, mas não está sendo aproveitado. O bem recuperável é aquele possível de recuperação, cujo custo é 50% do valor de mercado.

 

O antieconômico, por sua vez, tem uma manutenção onerosa por conta do desgaste e, em virtude disso, sua recuperação é superior a 50% do valor de mercado. Já o irrecuperável não tem mais utilidade ou sua recuperação é economicamente inviável. O processo de exclusão de um bem também se chama desfazimento.

 

FOTOS: Gabriel Retondano

Deixe seu Comentário

Nome:

Email:

Seu email não será publicado
Mensagem:
Leia Também

© Copyright 2016 Portal Flagrante. Todos os direitos reservados.