▸ Agenda Cultural ▸ Artigos ▸ Carnaval ▸ Celebridades ▸ Cotidiano ▸ Cultura ▸ Destaques ▸ Economia ▸ Educação ▸ Entretenimento ▸ Esporte ▸ Eventos Sociais ▸ Festival Folclórico de Parintins ▸ Internacional ▸ Justiça ▸ Lazer ▸ Meio Ambiente ▸ Nutrição ▸ Polícia ▸ Política ▸ Religião ▸ Saúde ▸ Tecnologia ▸ TRANSPORTES ▸ Turismo

Notícias
Compartilhar Imprimir

Política | PUBLICAÇÃO DE LEI | 02/03/2019 | 21:09 | Por: Portal Flagrante

Josué Neto comemora a publicação da Lei que proíbe o consumo de bebibas alcoólicas a pessoa com porte de arma

O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, deputado Josué Neto (PSD) comemorou a publicação da Lei Nº 4.788 de 27 de fevereiro de 2019, de sua autoria, que proíbe o consumo de bebidas alcoólicas por pessoas que estejam portando arma de fogo em estabelecimentos comerciais, bares e casas noturnas do Amazonas. Pela nova lei, também fica proibida a venda de bebidas para pessoas armadas.
 
A lei foi aprovado em 28 de novembro no ano passado, e publicada na edição de sexta-feira, 1 de março, do Diário Oficial do Poder Legislativo.
 
Josué Neto explicou que o motivo da autoria da lei se deu após, a morte do advogado Wilson Justo, que era funcionário da Assembleia Legislativa.
 
“Esse projeto infelizmente teve sua origem a partir de um acontecimento lamentável, que foi a morte do advogado Wilson Justo, assassinado dentro de uma casa noturna. A linha dessa Lei é a mesma de uma pessoa que dirige e não pode ingerir bebidas alcoólicas. É uma lei que tenta prevenir que outras situações como essa aconteçam”, afirmou o parlamentar.
 
De acordo com o presidente Josué Neto, a Assembleia não pode proibir o porte de armas em casas noturnas, mas pode legislar sobre normas de segurança de estabelecimentos locais.
 
De acordo com a lei, o portador deve informar ao estabelecimento que está portando arma de fogo e assinar um termo de responsabilidade. Uma vez avisado, o estabelecimento deve informar a Corregedoria-Geral do Estado (CGE) se o portador da arma for servidor da Segurança Pública.
 
Em caso de descumprimento, o infrator poderá pagar multas que vão de 2 mil a 15 mil reais, cassação do alvará de funcionamento, entre outros.
Deixe seu Comentário

Nome:

Email:

Seu email não será publicado
Mensagem:
Leia Também

© Copyright 2016 Portal Flagrante. Todos os direitos reservados.