Governo do Amazonas isentou pagamento de aluguel de estádios para mais de 200 jogos de futebol em 2019

O
ano de 2019 foi histórico para o futebol profissional do Estado, com a
volta de um time local à Série D do Campeonato Brasileiro e o retorno do
torcedor aos estádios. E o Governo do Amazonas teve papel essencial
nessas conquistas, ao isentar os times locais de aluguel pelo uso da
Arena da Amazônia e dos estádios Ismael Benigno e Carlos Zamith. Foram
mais de 200 jogos realizados pela Federação Amazonense de Futebol (FAF)
com a isenção da cobrança por parte da Secretaria de Estado de Educação e
Desporto, gerando uma economia de mais de R$ 700 mil para as equipes
locais.

A
isenção no aluguel desses espaços inclui, ainda, o não pagamento de
quadro móvel, que inclui limpeza, manutenção e segurança dos locais nos
dias de jogos. Com essa economia, os times puderam investir em
contratações, estrutura e equipamentos, chegando a resultados como o
alcançado pelo Manaus Futebol Clube, que levou mais e 44 mil torcedores à
Arena da Amazônia na final da Série D do Campeonato Brasileiro, batendo
o recorde de público do estádio. 

O
Manaus, que ficou com o vice-campeonato da Série D, além de utilizar os
estádios para jogos sem o custo de aluguéis, também pôde usar a
estrutura dos espaços para treinamentos, tudo sem qualquer cobrança por
parte do poder público.  Para o presidente do clube, Luiz Mitoso, o
trabalho de incentivo do Governo do Amazonas foi fundamental nos
resultados alcançados pela equipe, além de ser essencial para outros
times locais.

“A
ação de apoiar os clubes, arcar com essas despesas de quadro móvel,
inclusive quando entregou as praças esportivas para o nosso time
treinar, foi uma ajuda primordial. Este tipo de apoio é de suma
importância para os dirigentes e clubes que querem a evolução dos times
e, com isso, resgatar o futebol amazonense de outrora, colocar o time
pelo menos numa série B”, explicou Mitoso.

O
diretor-presidente da Fundação de Alto Rendimento do Amazonas (Faar),
ligada à Secretaria de Estado de Educação e Desporto, Caio André de
Oliveira, destacou que, desde o início da nova gestão, o incentivo ao
futebol local sempre foi uma prioridade para o governador Wilson Lima.
Ele também ressaltou o ano singular que a categoria viveu.

“Foi
um ano de crescimento espetacular para o futebol profissional
amazonense. Prestamos toda a assistência necessária para o Manaus FC,
que é o nosso grande representante na Série C e que reconquistou o gosto
da população manauara de ir para o estádio. Com trabalho e dedicação,
poderemos fazer muito mais em 2020” concluiu.

Categorias de base – Preocupado
não apenas com o presente, mas com o futuro do futebol local, a
Secretaria de Estado de Educação e Desporto, em convênio com o Instituto
Rio Negro, também realizou em 2019 o Projeto Base Forte, que atuou no
subsídio das despesas de partidas das categorias de base do futebol
amazonense, além de fornecer aos times equipamentos e bolas para o
treino.

A
ideia do projeto foi de atender equipes de futebol de base devidamente
registradas na FAF. Campeonatos de categorias como Sub-9, Sub-11,
Sub-15, Sub-17 e Sub-21 foram realizados com o apoio do projeto, que
contaram no ano passado com participação de clubes inclusive do interior
do Estado. 

Segundo
o diretor executivo de Futebol de Base da FAF e coordenador do projeto,
Tiago Durante, ideias como a do Base Forte são fundamentais para o
crescimento e fortalecimento do esporte local. “A base é alicerce para
qualquer clube. Para que ele tenha sucesso e uma boa continuidade do seu
futebol profissional, é preciso que ela seja sólida e forte. Então
investimentos nesse segmento são necessários”.

Tiago
ressalta ainda que, além de render atletas para o futebol profissional
dos clubes, as categorias de base podem se tornar um ativo financeiro
para a equipe, com a venda de atletas.

FOTOS: Mauro Neto

David Almeida mais próximo do apoio de Arthur