Programa de Pós-Graduação em doenças tropicais e infecciosas da FMT realiza Aula Magna

 
O Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical (PPGMT) da Universidade do Estado Amazonas (UEA), em convênio com a Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), promoveu, na manhã desta sexta-feira (14/02), a Aula Magna dos Cursos de Mestrado e Doutorado em Doenças Tropicais e Infecciosas, ano acadêmico 2020. São 22 novos alunos nos programas de mestrado e doutorado.
evento foi realizado no auditório Graça & Wilson Alecrim do Instituto de Pesquisa Clínica Carlos Borborema (IPCCB) e teve como convidado especial o professor doutor Wanderley de Souza, membro titular da Academia Nacional de Medicina (ANM) e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O professor ministrou a palestra “O estágio atual da ciência brasileira”, para os novos alunos do programa de pós-graduação.
O palestrante apresentou números ligados à distribuição de bolsas e recursos e falou sobre a importância da implementação dos cursos de pós-graduação no país. Mostrou, inclusive, a distribuição destes recursos por Estados e regiões, além de tirar dúvidas dos novos alunos, como formas de conseguir financiamento para pesquisas nos tempos de crise.
Convidados - Também estiveram presentes os professores convidados da UEA, Dra. Maria Paula Gomes Mourão e Dr. Diego Ferreira Regalado, além do diretor-presidente da FMT-HVD, Dr. Marcus Vinitius de Farias Guerra. Na Aula Magna, o coordenador do Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical, professor doutor Wuelton Marcelo Monteiro, apresentou os professores do programa para os novos alunos.
“Apesar da crise que estamos passando, com a diminuição do investimento em pesquisa no Brasil, inclusive com o corte de bolsas, o Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical sentiu menos, principalmente, por causa do nosso conceito na Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), que é 5, considerado ótimo, não tivemos cortes de bolsas, isso nos coloca em uma posição confortável”, disse Wuelton Monteiro.
Além disso, o coordenador afirmou que com a ótima qualidade da pesquisa produzida pelo curso, os pesquisadores conseguem, além dos financiamentos nacionais e públicos, bons financiamentos internacionais na área de ensaios clínicos, avaliação de testes diagnósticos, e estudos epidemiológicos.
Programa - Até o final de 2019, o PPGMT matriculou um total de 398 alunos, sendo 273 (68,6%) de mestrado e 125 (31,4%) de doutorado. Deste total, 247 foram titulados, sendo 194 (78,6%) de mestrado e 53 (21,4%) de doutorado. No final de 2019, 106 alunos estavam cursando, sendo 51 (48,1%) de mestrado e 55 (51,9%) de doutorado.
Para 2020, foram selecionados 22 alunos de mestrado que se matricularam no final do mês de janeiro. Dentre estes, será matriculado um aluno de mestrado selecionado pelo Programa de Alianças para Educação e Capacitação (PAEC-OEA-GCUB), no âmbito do Acordo de Cooperação entre a Organização dos Estados Americanos (OEA) e o Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras (GCUB).
 
Até o momento, 11 alunos estrangeiros ingressaram pelo PAEC-OEA-GCUB, sendo quatro de doutorado e sete de mestrado, provenientes da Venezuela, Colômbia, Guatemala, Nicarágua, Honduras, República Dominicana e México. Além destes, mais sete estrangeiros já cursaram ou estão cursando o PPGMT, vindos de São Tomé e Príncipe, Colômbia, Nigéria, Espanha e Quênia.
 
No caso do doutorado, a seleção é realizada de forma contínua, com novas inscrições iniciando em fevereiro e finalizando em setembro de cada ano, sendo que o número de vagas está na dependência da disponibilidade de orientador.
 
FOTOS: DIVULGAÇÃO/FMT-HVD

David Almeida mais próximo do apoio de Arthur