Manaus:

Julgamento de acusados da morte da advogada Mara Inês Ribeiro de Lima prossegue Fórum Henoch Reis

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

 

 

 

Expectativa é de que o júri seja concluído ainda nesta quinta-feira (12)

O juiz de direito Adonaid Abrantes, titular da 3.ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus, reabriu na manhã desta quinta-feira (12) a sessão de julgamento popular relativa à Ação Penal n.º 0233073-32.2016.8.04.0001, que tem como réus Welliton Barros Miranda, Leonardo Elias Nahmias de Oliveira e Jucicleia Ramos Miranda. Eles são acusados da morte da advogada Mara Inês Ribeiro de Lima, crime ocorrido em 3 de agosto de 2016, na Estrada da Praia Dourada, bairro Tarumã, zona Oeste de Manaus.

Durante está quinta-feira, a pedido do Conselho de Sentença, o juiz, o promotor e a defesa puderam interrogar novamente o réu Leonardo Elias Nahmias de Oliveira. Após o interrogatório, o juiz suspendeu, retomando os trabalhos às 13h. A defesa requereu um acréscimo de 30 minutos no tempo de debates, o que foi concedido pelo magistrado, com aval do promotor de Justiça Leonardo Tupinambá.

Com isso os debates terão 3 horas para o Ministério Público e o mesmo tempo para a defesa. A primeira fase dos debates deverá se estender até as 18h e, em caso de réplica de tréplica, se acrescerá mais duas horas para cada parte.

A sessão de julgamento popular está sendo presidida pelo juiz de direito titular da 3.ª Vara do Tribunal do Júri, Adonaid Abrantes de Souza Tavares. O promotor de justiça Leonardo Tupinambá está representando o Ministério Público do Estado do Amazonas, sendo assistido pelo advogado Luiz Jorge de Arruda Rosas.

O defensor público Maurílio Casas Maia está defendendo o réu Leonardo Elias Nahmias de Oliveira. A advogada Maria das Graças Paula Araújo defende o acusado Welliton Barros Miranda, As advogadas Natividade de Jesus Magalhães e Ângela Maria Gonçalves Segadilha atuam na defesa da acusada Jucicleia Ramos Miranda.

A expectativa é de que o júri seja concluído ainda nesta quinta-feira (12).

O crime

De acordo com o Inquérito Policial que originou a denúncia do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE), no dia 3 de agosto de 2016, durante a madrugada, foi encontrado o cadáver da advogada Mara Inês Ribeiro de Lima na estrada da Praia Dourada, bairro Tarumã, zona Oeste de Manaus. O corpo apresentava sinais de perfuração no pescoço e tinha as pernas amarradas.

A denúncia foi feita pelo Ministério Público contra cinco réus, porém, foram pronunciados: Welliton Barros Miranda, Leonardo Elias Nahmias de Oliveira e Jucicleia Ramos Miranda.

De acordo com a apuração da Polícia Civil, Welliton Barros Miranda mantinha um relacionamento amoroso com a vítima e teria confessado a ela que pretendia realizar um assalto a um empresário de Manaus. Como a advogada foi contra seu plano e ameaçou denunciá-lo, ele decidiu matá-la.

Natália Garcia

Natália Garcia

Assine a nossa newsletter

Clique no botão editar para alterar este texto.