Corpo de DANÇA do Amazonas participa do festival internacional “Dança em Trânsito”

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Companhia será a única oficial do país a participar do evento
 

O Corpo de Dança do Amazonas (CDA), mantido pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, participará do festival internacional on-line “Dança em Trânsito” nos dias 15 e 18 de agosto. O diretor da companhia de dança, Mário Nascimento, realizará uma oficina de dança contemporânea e também será apresentado o espetáculo “Cabanagem”.

As inscrições para a oficina e para o espetáculo são gratuitas e podem ser realizadas por meio destes links: bit.ly/oficinamarionascimento (oficina), às 10h (horário de Manaus), no dia 15 de agosto; e bit.ly/festivalespetaculos (espetáculo), às 18h (horário de Manaus), no dia 18 de agosto. 

Confira a programação completa em www.dancaemtransitoonline.com/pages/programacao.

O CDA será a única companhia oficial do país a participar do evento. De acordo com Mário Nascimento, a companhia foi convidada pela diretora do festival “Dança em Trânsito”, Flávia Tápias. 

“Este festival acontece há alguns anos e já tive a honra de participar. É um evento que acontece principalmente no Rio de Janeiro e em Paris, mas agora em decorrência da pandemia será realizada a transmissão on-line. É uma oportunidade para o CDA criar parcerias internacionais, pois curadores do mundo todo estarão assistindo. Seremos a única companhia oficial do Brasil e das Américas no festival”, ressaltou o diretor artístico e coreógrafo.

Além da oficina de dança contemporânea, Mário Nascimento também participará de uma live após o espetáculo “Cabanagem”, para um bate-papo com o público. A oficina tem o objetivo de disponibilizar ao intérprete ferramentas que o capacitem para análise, compreensão, fruição e entendimento da Dança Contemporânea, assim como a sua relação com o homem urbano contemporâneo.

“No bate-papo, falarei com o público sobre o CDA e os planos para o futuro. Mesmo com a pandemia, não paramos de trabalhar. Tracei um plano para os bailarinos trabalharem em suas casas porque, para nós, não perder a forma é crucial para os trabalhos. O CDA é uma companhia de alto nível e de grande importância para a nossa região. Este ano, teremos novidades em estreias para o público”, revela Nascimento.

Cabanagem – Com direção artística e coreografia de Mário Nascimento, a obra traz a histórica revolta popular, na qual negros, índios e mestiços combateram a elite política na região norte do Brasil, no período regencial. Apresentada pela primeira vez em 2010, “Cabanagem” ganhou dois prêmios: o Funarte Klauss Vianna de Dança para montagem de espetáculo em 2009 e, um ano depois, o grupo foi contemplado com o Projeto Palco Giratório (Sesc Nacional).

Segundo o diretor, os movimentos em cena são inspirados na literatura de Márcio Souza e Marilene Corrêa, na busca de traduzir o espírito de resistência, luta, revolta e de preservação das culturas.

Mário Nascimento – Com 25 anos de carreira, como bailarino, professor, diretor artístico e coreógrafo, Mário Nascimento iniciou seus estudos no Brasil, em 1978, formando-se em ballet clássico, dança moderna e jazz. Estudou com Toshie Kobayashi, Lenie Dale, Fred Benjamin, Redhá Bettenfour, Joyce Kermann,Tony Abbot e Mayza Tempesta.

Em 1989, aprimorou-se em dança moderna e contemporânea na Europa e participou da Cia. Charleroi Dance de Bruxelas. Com a criação do espetáculo “Escapada”, em parceria com o músico Fábio Cardia, apresentou-se na Alemanha, recebendo destaque no Morgen estudos de artes marciais, atletismo e composição de ritmos musicais, que contribuíram para o desenvolvimento de sua própria técnica e linguagem.

Fundador da Cia. Mário Nascimento, criada há 20 anos, foi assistente de direção e coreógrafo da Cisne Negro Cia. de Dança (São Paulo), dirigida por Hulda Bittencourt, onde criou as obras: “7 por 7” e “Maracatu de Chico Rei”.

Em 1997, foi convidado pelo Centro Coreográfico da Comunidade Franco – Belga para ministrar aulas na Post de Hamburgo. Em 2002, estruturou-se em Belo Horizonte (Minas Gerais), com a Cia Mário Nascimento. Desde 2019, é diretor do Corpo de Dança do Amazonas, em Manaus. 

Fotos: Divulgação

Luciana

Luciana

Assine a nossa newsletter

Clique no botão editar para alterar este texto.