Moradores do São Judas Tadeu são beneficiados com nova estação de esgoto

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin


Os mais de 2.800 moradores do conjunto São Judas Tadeu, localizado no bairro Flores, zona Centro-Sul de Manaus, já contam com uma nova estação elevatória de esgoto. O novo sistema substitui o antigo, de fossa séptica e filtro anaeróbio, o qual precisou ser desativado devido a problemas de rachaduras na infraestrutura.

Com a nova estação elevatória São Judas, que começou a operar nesta semana, os resíduos das quatro etapas do condomínio são encaminhados para a estação de tratamento de esgoto Timbiras, a maior da região Norte do País.

As obras foram realizadas pela concessionária Águas de Manaus e fiscalizadas pela Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Município de Manaus (Ageman).

“Os moradores denunciaram o problema e a concessionária foi notificada para encontrar uma solução. Com o esgoto sendo lançado agora para a elevatória Timbiras, o resíduo é tratado com mais qualidade. A obra teve um pequeno atraso devido a pandemia, mas já está totalmente concluída”, afirmou a engenheira Flávia Aziz dos Santos, diretora do Departamento de Regulação da Ageman.

Para garantir a melhoria no serviço de esgotamento sanitário do residencial, foram assentados 1.095 metros de rede coletora de esgoto, nas vias que tiveram o pavimento preservado, de forma a não comprometer o fluxo de veículos na área, e também a qualidade do recapeamento da avenida Timbiras, principal via de acesso para a zona Norte de Manaus.

Conforme a moradora do bloco 21, Louise Martins, a nova estação de esgoto já está mostrando bons resultados. “Ficava tudo alagado, porque estava rachado e exalava um mau cheiro horrível, agora não temos mais do que reclamar”, afirmou.

A nova estação tem capacidade para tratar seis litros de esgoto por segundo e compõe o Sistema de Esgotamento Sanitário da cidade de Manaus, o qual reúne uma extensão superior a 500 quilômetros de redes coletoras, associadas a 60 estações de tratamento de esgoto e 51 elevatórias.

Para o esgotamento sanitário, a meta da Prefeitura de Manaus é fechar o ano de 2020 em 22% e chegar a 80% até 2030, conforme meta estipulada em contrato.

Texto – Tereza Teófilo / Ageman

Fotos – Tereza Teófilo / Ageman

Rosana Carvalho

Rosana Carvalho

Assine a nossa newsletter

Clique no botão editar para alterar este texto.