Joelson Silva propõe título de Utilidade Pública para o Instituto Emanuel Rei Davi

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

O trabalho de inclusão social que atende a aproximadamente 400 famílias e que é desenvolvido há pouco mais de uma década pelo Instituto Emanuel Rei Davi (IERD), no bairro Nova Esperança, zona Centro-Oeste, atraiu a atenção do vereador Joelson Silva (Patriota) e levou o parlamentar a propor, por meio do Projeto de Lei 301/2020, que seja concedido o título de Utilidade Pública à referida instituição. Além de manter as atividades desenvolvidas no local por muito mais tempo, caso seja aprovado pelos vereadores e sancionado pelo Executivo, esse tipo de reconhecimento possibilitará inscrição em editais públicos e deixará o instituto apto a receber recursos públicos para aplicação nos projetos que desenvolve.

O Projeto de Lei começou a tramitar nesta quarta-feira (23), na Câmara Municipal de Manaus (CMM), e seguiu para análise da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR).

O Instituto Emanuel Rei Davi completa 11 anos no próximo mês de novembro, com ações que envolvem desde a realização de cursos de inclusão produtiva, de geração de renda, a atividades voltadas à educação, saúde e assistência, com a finalidade de promover melhoria da qualidade de vida às famílias, assim como, reduzir a exclusão social com ações de cidadania.

Joelson Silva esteve no Instituto, no início deste mês, para conhecer um pouco do trabalho que atende, principalmente, a pessoas em situação de vulnerabilidade.

“Conversei com a presidente e fundadora da entidade, dona Beth Navarro, e pude acompanhar alguns cursos, que são de grande utilidade para o dia a dia das pessoas. Achei muito bom. É um projeto que merece ser continuado”, justifica o parlamentar.

Cadastro
As quase 400 famílias cadastradas são atendidas nas áreas social, psicológica e de qualificação profissional. Todas fazem parte de um cadastro, que também possibilita que as mesmas recebam outros benefícios, como alimentos em cestas básicas, doados por parceiros, por meio de programas como Mesa Brasil (Sesi) e Aquisição Alimentar (Sepror).

“Nosso reconhecimento vai também para os 15 cidadãos e cidadãs, entre funcionários e colaboradores, que hoje tornam esse projeto uma realidade”, destaca Joelson Silva.

Atividades
Entre as atividades oferecidas no local, que envolvem inclusive o público idoso, estão os cursos de assistente administrativo, beleza e estética, produção de doces e salgados, policultura, agricultura, piscicultura, horticultura, criação de animais, além de atendimento psicossocial, entre outros.

Texto: Isaac Júnior
Foto: Robervaldo Rocha – Dircom/CMM

Rosana Carvalho

Rosana Carvalho

Assine a nossa newsletter

Clique no botão editar para alterar este texto.