Manaus:

Polícia Civil deflagra operação ‘NÊMESIS’ e prende três motoristas de aplicativo por homicídio e ocultação de cadáver

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), sob o comando do delegado Charles Araújo, com o apoio da Companhia Independente de Policiamento com Cães (CIPCães), deflagrou, nesta terça-feira (21/10), a operação ‘Nêmesis’, que resultou nas prisões de três motoristas de aplicativos, envolvidos no homicídio e na ocultação de cadáver do adolescente Pedro Adley Fernandes, que tinha 17 anos. A vítima estava desaparecida desde o dia 21 de junho deste ano.

De acordo com o delegado Charles Araújo, no dia do delito, a irmã do adolescente, uma mulher de 27 anos, compareceu a DEHS para registrar um Boletim de Ocorrência (BO). Na ocasião, ela informou que o irmão dela havia sido sequestrado, pois os vizinhos deles verificaram que um veículo, supostamente modelo Ônix de cor prata, estava com alguns homens, provavelmente, motoristas de aplicativo, rondando a casa da família.

“Nesse momento, eles estavam atrás de uns indivíduos que haviam praticado roubos contra um deles na área do bairro Gilberto Mestrinho, zona leste da cidade. Na delegacia, a irmã da vítima relatou também que o adolescente não possuía ficha criminal e que teria sido confundido com outra pessoa. Após tomarmos conhecimento do delito, imediatamente iniciamos as investigações”, detalhou Araújo.

O titular da DEHS destacou que, após quatro meses do crime, as equipes chegaram à identificação dos indivíduos. Durante as investigações, os policiais constataram que o carro utilizado no sequestro era de uma locadora, e que Pedro Adley não teve qualquer participação no roubo ao motorista de aplicativo.

Prisões – Ao longo das diligências realizadas nesta quarta, foram presos Cleyton Augustinho dos Santos, 29; João Rodrigues Maciel, 33, conhecido como ‘João dos Aplicativos’, que é candidato a vereador; e Kameron Braga Pereira, 20. As prisões ocorreram nos bairros Tarumã e Nova Cidade, zonas oeste e norte de Manaus respectivamente. Segundo a autoridade policial, outras quatro pessoas também já foram indiciadas pela participação na ação criminosa.

As ordens judiciais em nome de Cleyton, João e Kameron foram expedidas no dia 16 de outubro deste ano, pelo juiz Rafael da Rocha Lima, da Central de Inquéritos.

Após as prisões, os três infratores levaram os policiais até o quilômetro 30, da rodovia federal BR- 174, onde eles esconderam o corpo que, possivelmente, seja de Pedro Adley. O cadáver foi localizado em avançado estado de decomposição. Será aguardado o exame pericial pelo Instituto Médico Legal Antônio Hosannah da Silva Filho (IML-AHSF), para constatar se o corpo é do adolescente.

“É importante destacar que o crime ocorreu naquela mesma região, porém, depois que iniciamos as investigações, os infratores retiraram ele do local onde o fato ocorreu e mudaram para outro ramal, para não serem descobertos”, disse Charles.

Procedimentos – Cleyton, João e Kameron irão responder por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Após os trâmites cabíveis, eles serão levados para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde passarão por audiência de custódia e ficarão à disposição da Justiça.

Rosana Carvalho

Rosana Carvalho

Assine a nossa newsletter

Clique no botão editar para alterar este texto.