Conecte-se Conosco

Olá, o que procuras?

Notícias

PEDIDO DE SOCORRO passageiros à deriva em rio sofrem com insensibilidade de prefeito e do governo do Amazonas


CARAUARI – Um caso de desumanidade, crueldade e insensibilidade chamou a atenção da população e revoltou todos que tomaram conhecimento das condições de passageiros de uma embarcação que viajavam ao município de Carauari e foram impedidos de entrar no município pelo prefeito local, por conta do decreto estadual e municipal que proibi as viagens em embarcações no Estado.

O relato à baixo, são de passageiros, a maioria moradores do município de Carauari, a 788 quilômetros de Manaus, impedidos de descer da embarcação, após dias de viagem da capital.
Veja a integra do relato dos passageiros:

“Nós, abaixo assinados, moradores do município de Carauari-AM, pedimos SOCORRO e RESGATE, pois estamos à deriva, impedidos de entrar em nossas casas na cidade de Carauari pela Polícia Militar do Amazonas, a mando do prefeito e juiz de Carauari (que são a mesma pessoa), em uma medida que atenta contra a VIDA de todos nós.
Estávamos em Manaus, a maioria em tratamento de saúde, e quando a pandemia se agravou na capital, com números alarmantes de mortes, inclusive por falta de oxigênio, decidimos voltar para nossa cidade. Como não temos dinheiro pra ir de avião, que custa até R$ 1.500,00, viemos de barco, com ocupação de aproximadamente um terço da sua capacidade, com o devido controle de transmissão do COVID-19.
Depois de viajar 7 dias de Manaus para Carauari, faltando apenas algumas horas para chegar em nossa cidade, para a surpresa de todos, nossa embarcação foi abordada, no meio do rio, por uma grande tropa de guardas municipais e policiais civis e militares, fortemente armados. Momento que causou grande pânico entre todos. Alguns chegaram até a desmaiar diante de tanta angústia e medo. Essa tropa impediu a continuidade da viagem na direção de Carauari e nos escoltou por um dia (quarta-feira, 24/02), sem liberdade de defesa, fazendo o barco viajar na direção contrária ao nosso destino.
Desde então, estamos à deriva, aprisionados em uma embarcação, com nosso direito de ir e vir negado. Muitas pessoas estão em período pós operatório, pessoas idosas, crianças, outras que estão doentes pois estão em fase de tratamento, com medicação controlada e já limitada.
Estamos vivendo um caos total neste momento. Nossas vidas estão em risco sem saber quando teremos nossos direitos restabelecidos. Mais uma vez estamos sendo penalizados pela desigualdade social. Enquanto os que tem dinheiro podem chegar todos os dias de avião na cidade de Carauari, nós estamos proibidos de chegar em casa.

O prefeito do município vizinho (Juruá), gentilmente autorizou o exame pra todos nós embarcados e não foi diagnosticado NENHUM PASSAGEIRO COVID-19, mesmo assim o prefeito e juiz de Carauari (que são a mesma pessoa)nos nega o direito de ir para nossas casas. Suplicamos o SOCORRO e RESGATE de quem puder nos ajudar.”
Barrancos do rio Juruá, 25 de fevereiro de 2021.

1 Comment

1 Comment

  1. [email protected]

    27 de fevereiro de 2021 at 16:25

    Que sacanagem isso que estão fazendo com essas pessoas. Pq não liberam as pessoas pra irem pras suas casas. Falem com o Pé.da cidade pra interceder junto a esse homem sem coração

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Manaus:

Facebook

Você pode gostar!

Polícia

Na manhã desta sexta-feira (16/04), a polícia foi acionada com a informação de um corpo ensanguentado jogado em via pública na Comunidade Coliseu, bairro...

Notícias

Robson Carvalho – Sufocada pelas dívidas com contas de águas, energia, aluguel e folha de pagamento dos mais de 40 funcionários, atrasadas, a empresária...

Polícia

Na noite deste domingo (18), um intenso tiroteio que aconteceu entre policiais e traficantes, deixou uma pessoa morta, nas imediações do Sest/Senat, Zona Leste...

Destaque

Por: Secretaria Municipal de Comunicação conteúdo de responsabilidade do anunciante Manaus está entre as localidades que mais avançam na vacinação contra a Covid-19 no...