Conecte-se Conosco

Olá, o que procuras?

Educação

Primeiro dia da ADE conta com mais de 164 mil alunos da rede municipal

De forma escalonada e seguindo todos os protocolos de segurança contra a Covid-19, a Prefeitura de Manaus iniciou nesta segunda-feira, 14/6, a Avaliação de Desempenho do Estudante (ADE). Mais de 164 mil alunos da Secretaria Municipal de Educação (Semed), do 2º ao 9º ano do ensino fundamental e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) 3ª e 4ª fase, farão a prova. As aplicações seguem até quinta-feira, 17.

A ADE é uma avaliação em larga escala, com foco nas habilidades e competências desenvolvidas pelos estudantes nos componentes curriculares de língua portuguesa e matemática. A ação é coordenada pela Divisão de Avaliação e Monitoramento (DAM) da Semed, que passa pelo monitoramento do Sistema de Avaliação do Desempenho Educacional de Manaus (Sadem), instituído pelo decreto municipal nº 3.113/ 2015, que reúne todas as avaliações de larga escala em nível institucional e nacional.

Este ano, 367 escolas participam da avaliação. De acordo com o chefe da DAM, Anézio Ferreira Mar Neto, a segunda prova acontece em outubro e é uma forma de contribuir para o desenvolvimento do ensino e aprendizagem do aluno.

“Nossa expectativa para este ano é contribuir com a aprendizagem dos nossos estudantes, por meio da aplicação da ADE. Com isso é possível verificar quais habilidades eles conseguiram desenvolver por meio do ensino remoto e também o que nós precisamos melhorar para atender nossos alunos, enquanto secretaria, escola, para intervir nesse processo de ensino aprendizagem”, explicou Anézio.

Referência

A escola municipal José Carlos Martins Mestrinho, na Vila Amazonas, zona Centro-Sul de Manaus, a primeira colocada no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) nos anos iniciais, teve a participação de mais de cem alunos no primeiro dia da prova, nos dois horários (matutino e vespertino). A unidade atende 218 estudantes do 2º ao 5º ano.

De acordo com a gestora da unidade de ensino, Vera Lina Aragão, a preparação para ADE foi trabalhada desde o início do ano letivo.

“Toda a nossa programação foi repassada aos alunos e pais, para que todos entendessem como funciona essa avaliação. Além disso, no nosso planejamento priorizamos a realização de simulados, para que os alunos estivessem realmente aptos para fazer a prova e aos pais incentivamos que trouxessem os filhos para que todos participassem”, informou Vera.

Para a professora Manuela Ramos Paes, a preparação para a avaliação vai além dos conteúdos.

“Mesmo com um ano atípico, onde tivemos pouco tempo de aula presencial e trabalhamos a maior parte de forma on-line, nós sempre trabalhamos em cima dos conteúdos da prova. Mas também explicamos como funciona a avaliação, como responder o cartão-resposta, a interpretar bem os textos e para isso é preciso manter a calma, porque nós sabemos que o nervosismo atrapalha muito nessas horas”, disse a educadora.

A aluna Maria Júlia Costa, 10, do 5º ano, sabe da importância da avaliação e disse que vai fazer tudo como a professora orientou. “É uma prova difícil, mas essencial para o meu futuro. Quero me concentrar bastante e seguir todos os conselhos que a professora me deu durante todo esse tempo, que é ler bastante até entender o texto e marcar as respostas somente quando tiver certeza”, comentou Maria.

Texto – Érica Marinho / Semed

Fotos – Cleomir Santos / Semed

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook

Advertisement

Você pode gostar!

ESPECIAL PUBLICITÁRIO

Por: Secretaria Municipal de Comunicação conteúdo de responsabilidade do anunciante Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que em todo o...

Polícia

Manaus/AM – A Polícia Federal deflagra na manhã desta quarta-feira (20), a Operação Vikare, que tem como alvo uma organização criminosa ligada ao tráfico...

Polícia

Equipe policial foi acionada por populares sobre suspeitos tentando assaltar um estabelecimento comercial.

Economia

Ministro da Economia afirma que falta da reforma do Imposto de Renda impede benefício permanente e que fonte de financiamento ainda não está definida.