Conecte-se Conosco

Olá, o que procuras?

Notícias

Aplicativo ‘Alerta Mulher’ atendeu mais de 60 vítimas de violência doméstica em 2021

Ferramenta serve como um canal de comunicação mais rápido entre a polícia e as vítimas

Entre janeiro e dezembro do ano passado, o aplicativo “Alerta Mulher” atendeu 66 vítimas de violência doméstica. Desenvolvido pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), através do Departamento de Tecnologia da Secretaria Executiva-Adjunta de Planejamento e Gestão Integrada de Segurança (Seagi), em parceria com a Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), a ferramenta tem como principal objetivo ser um canal de comunicação mais rápido entre as mulheres vítimas de violência doméstica e a polícia.

De acordo com o chefe do Departamento de Tecnologia da Seagi, major Marco Gama, o cadastro no aplicativo só pode ser feito após a vítima registrar o Boletim de Ocorrência (BO), em uma das três delegacias especializadas em Crimes Contra a Mulher, e solicitar medida judicial protetiva.

“É um aplicativo para a mulher que já sofre violência doméstica e já tem um agressor conhecido. Quando a vítima vai fazer o Boletim de Ocorrência na delegacia, ela é orientada a se cadastrar e baixar o aplicativo”, explicou. O aplicativo funciona desde 2018 e possui 1.063 mulheres cadastradas.

A ferramenta conta com uma base exclusiva para atendimento do “Alerta Mulher”, nas dependências do 190, o serviço emergencial do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops). O monitoramento ocorre 24 horas por dia.

“Quando o aplicativo é baixado, já reconhece o CPF (da vítima) automaticamente. É apresentado um botão de pânico para acionar em caso de risco ou estar sofrendo alguma agressão e, a partir disso, o nosso pessoal do 190 já recebe esse chamado. Eles já sabem o ponto certo, verificam a viatura que está mais perto do local e rapidamente ela (vítima) é atendida”, explicou o major.

A vítima pode baixar o aplicativo no sistema Android por meio do Google Play Store. O “Alerta Mulher” permite que a vítima já cadastrada envie fotos e áudios. As informações são recebidas pela equipe de monitoramento do Ciops, que aciona uma viatura para atender a ocorrência.

Quando acionar a ferramenta – O botão “Alerta Mulher” pode ser usado sempre que a vítima estiver em risco, sofrendo agressões ou qualquer tipo de violência. A vítima também pode usar o aplicativo e acionar o botão quando o agressor estiver próximo a casa dela.

“Quando tem a medida protetiva que o agressor não pode chegar a determinada distância da casa dela (vítima), rodeando, ela pode acionar o aplicativo. O nosso atendente da Sejusc já conversa via chat. Caso ela esteja em risco, que não pode nem atender o celular, temos um botão que simula que o celular está desligado e passamos a rastrear o telefone”, completou o major Gama.

FOTOS: Erikson Andrade/SSP-AM

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook

Advertisement

Você pode gostar!

Notícias

Alinhada ao governo federal, a Federação dos Pescadores, representante legal e legítima da categoria, anunciou na manhã desta segunda-feira, 17, crédito aos pescadores de...

Notícias

O prefeito David Almeida anunciou a contratação de 500 profissionais de saúde para ajudar e tentar controlar o avanço do Covid-19 em Manaus e...

Brasil

Acidente aconteceu nesta quinta-feira, 13, e também atingiu um depósito; segundo a Defesa Civil, a recomendação é que os moradores não passem pela região.

Política

Randolfe Rodrigues sugeriu abertura de novas investigações ao Senado; nas rede sociais, parlamentar afirmou que Augusto Aras estaria entre os convocados.

Publicidade