Conecte-se Conosco

Olá, o que procuras?

Economia

Senado rejeita MP que previa programas de incentivo a criação de empregos

Os programas eram voltados à geração do primeiro emprego, qualificação profissional e faziam parte das medidas do governo para tentar evitar demissões durante a pandemia do novo coronavírus.

O Senado Federal rejeitou a Medida Provisória (MP) 1.045, que previa a criação de programas de incentivo à geração de empregos. A votação foi realizada na Casa na noite desta quarta-feira, 1º, e contou com 47 votos pelo arquivamento  e 27 pela aprovação. Os programas eram voltados à geração do primeiro emprego, qualificação profissional e faziam parte das medidas do governo para tentar evitar demissões durante a pandemia do novo coronavírus. O texto não deve afetar o programa de redução de jornada e salários, que já foi concluído. Senadores que votaram contra a MP alegaram que as medidas inseridas na Câmara dos Deputados removiam direitos trabalhistas soba a alegação de estimular a criação de empregos. Entre as mudanças na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) que estavam previstas no texto aprovado pela Câmara, estavam a mudança no sistema de horas extras para profissionais como professores, advogados e jornalistas, além da ampliação da carga horária para mineiros e mudança na assistência judiciária gratuita para trabalhadores.

O texto previa a criação de três programas de incentivo à geração de empregos. O primeiro deles era o Priore, que pretende desonerar a obrigação de pessoas entre 18 e 29 anos ou com mais de 55 anos. O segundo se chamava Requip, que visa conceder bolsas de qualificação para profissionais que estão fora ddo mercado de trabalho. Além disso, o serviço social voluntário, que permite que as prefeituras tenham mais flexibilidade para absorver mão de obra jovem ou com mais de 50 anos. Dos três programas do projeto aprovado, o único que previa vínculo empregatício era o Priore, sendo que 13º e férias estão garantidos, mas, por conta do tipo de vínculo, acontecerá uma redução do recolhimento do FGTS. Em relatório apresentado durante a tarde desta quarta, o relator Confúcio Moura (MDB-RO) já havia retirado os dispositivos que alteravam a CLT.

Fonte: JP Notícias

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook

Advertisement

Você pode gostar!

Notícias

Alinhada ao governo federal, a Federação dos Pescadores, representante legal e legítima da categoria, anunciou na manhã desta segunda-feira, 17, crédito aos pescadores de...

ESPECIAL PUBLICITÁRIO

Por: Secretaria Municipal de Comunicação conteúdo de responsabilidade do anunciante Atenção pais! A matrícula para novos alunos na rede municipal de ensino será realizada...

Destaque

Em reunião realizada na noite desta sexta-feira (14/01), o Comitê Intersetorial de Enfrentamento da Covid-19, decidiu adiar o início do ano letivo presencial de...

Educação

Para matrícula na modalidade, alunos devem ter idade mínima de 15 anos completos, para 1º e 2º segmentos, e 18 anos completos, para o...

Publicidade