Conecte-se Conosco

Olá, o que procuras?

Saúde

UBSs de Manaus participam de pesquisa sobre o impacto da vacinação contra o HPV

Para avaliar o impacto da vacinação contra o Papilomavírus humano (HPV), a Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), vai participar de um novo estudo de Prevalência do HPV no Brasil (POP-Brasil 2). Coordenada pelo hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre (RS), em parceria com o Ministério da Saúde, com recursos do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS), a pesquisa vai acontecer em 27 capitais brasileiras, assim como ocorreu no primeiro estudo realizado entre 2015 e 2017.

Em Manaus, profissionais de cinco Unidades Básicas de Saúde (UBSs), localizadas nas zonas Norte, Sul, Leste, Oeste e rural, participaram na quarta-feira, 6/10, do treinamento para a aplicação do questionário e coleta de material cervical, peniano e anal para o exame de detecção do HPV.

O público-alvo para o novo estudo é formado por homens e mulheres na faixa etária entre 16 e 25 anos, que já tenham tido relação sexual, considerando que o HPV é uma infecção sexualmente transmissível. A meta do estudo em Manaus é atingir 410 participantes.

Conforme a chefe do Núcleo de Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST/Aids) e Hepatites Virais da Semsa, enfermeira Rita de Cássia Castro de Jesus, o primeiro POP-Brasil foi realizado em Manaus no ano de 2017, com a participação de aproximadamente 227 pessoas, também envolvendo a faixa etária de 16 a 25 anos, em cinco Unidades de Saúde, para determinar a prevalência do vírus HPV e seus tipos.

“Na primeira pesquisa, o público-alvo foi selecionado na faixa etária de 16 a 25 anos porque representava uma população que em sua maioria não havia iniciado a vacinação contra o HPV. Na nova pesquisa, passado esse período de tempo, o público-alvo terá a mesma faixa etária, mas que já recebeu ou deveria ter recebido a vacina contra o HPV. Então, os novos dados da pesquisa poderão indicar se as pessoas vacinadas têm ou não algum tipo de HPV e, se tem o vírus, qual o tipo de HPV. As respostas para essas perguntas vão permitir avaliar se houve mudança na prevalência do vírus e o impacto da vacinação nesse público”, informou Rita de Cássia.

No Brasil, a vacinação contra o HPV foi incorporada ao Programa Nacional de Imunização (PNI) no ano de 2014.

A aplicação do questionário para a pesquisa e coleta de material para o exame, no município de Manaus, serão realizadas nas UBSs do bairro da Paz (zona Oeste), Ivone Lima (zona Leste), Morro da Liberdade (zona Sul), José Figliuolo (zona Norte) e Pau-Rosa (zona rural).

“A adesão é voluntária, com todos os dados coletados de forma sigilosa. E é extremamente importante que a população faça a adesão ao estudo para que Manaus possa ter informações exatas sobre o impacto da vacinação e a incidência do HPV, vírus que é um dos principais responsáveis pelo câncer do colo do útero, além de causar o câncer de pênis e boca, entre outros”, alertou Rita de Cássia.

A médica epidemiologista do hospital Moinhos de Vento, Eliana Wendland, coordenadora do estudo, explicou que com a certificação dos profissionais da Semsa, treinados para realizar a entrevista e coleta de material para o exame, as Unidades de Saúde de Manaus poderão iniciar o trabalho para a pesquisa na próxima semana.

“O material coletado será analisado em laboratório central na Universidade Federal de Ciências em Saúde, no Rio Grande do Sul”, informou a coordenadora, ressaltando que o projeto trará informações importantes para o planejamento em saúde na área do HPV.

Prevalência

No estudo realizado no ano de 2017, a prevalência da infecção pelo HPV foi de 54,8% entre a população que participou da pesquisa em Manaus, um pouco acima do índice da região Norte, que ficou em 53,54%. A maior prevalência foi verificada na região Nordeste, com 58,09%, e na região Centro-Oeste com 56,46%, com a região Sudeste apresentando 49,92%, e a região Sul 49,68%.

De acordo com a secretária municipal de Saúde, Shádia Fraxe, o HPV é um dos principais causadores dos casos de câncer do colo do útero, que tem grande incidência no Amazonas, podendo ser prevenido com a vacinação contra o Papilomavírus, que é disponibilizada para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos, na rede municipal de saúde.

“Este mês, a Semsa, por conta da campanha ‘Outubro Rosa’ na prevenção ao câncer do colo do útero, tem intensificado a oferta da vacina e alertado para a importância de completar o esquema vacinal contra o HPV. Além disso, as unidades de Saúde ofertam o exame preventivo, que pode detectar de forma precoce as lesões precursoras do câncer, permitindo que, com o diagnóstico e tratamento adequado, seja possível evitar o desenvolvimento do câncer do colo do útero. O uso de preservativo nas relações sexuais, disponíveis de forma gratuita nas unidades de Saúde, também é uma forma de evitar a infecção pelo HPV”, informou a secretária.

Fotos – Divulgação / Semsa

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook

Advertisement

Você pode gostar!

ESPECIAL PUBLICITÁRIO

Por: Secretaria Municipal de Comunicação conteúdo de responsabilidade do anunciante Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que em todo o...

Polícia

Manaus/AM – A Polícia Federal deflagra na manhã desta quarta-feira (20), a Operação Vikare, que tem como alvo uma organização criminosa ligada ao tráfico...

Polícia

Equipe policial foi acionada por populares sobre suspeitos tentando assaltar um estabelecimento comercial.

Economia

Ministro da Economia afirma que falta da reforma do Imposto de Renda impede benefício permanente e que fonte de financiamento ainda não está definida.