Conecte-se Conosco

Olá, o que procuras?

Cultura

Prefeitura de Manaus promove o lançamento do livro ‘O outro entre nós’, na próxima quarta-feira (27)

A Prefeitura de Manaus, por meio da Fundacao Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), promove o lançamento da obra do diretor teatral e dramaturgo Douglas Rodrigues, que lança seu primeiro livro com duas obras já encenadas no Brasil e em Portugal, além de outra inédita. O evento será realizado na Biblioteca Municipal João Bosco Pantoja Evangelista, a partir das 19 h do dia 27 de outubro.

Por muitos anos considerado uma máquina de fazer prêmios no Festival de Teatro da Amazônia, conquistando 43, o diretor teatral Douglas Rodrigues compila os textos de suas obras encenadas no Amazonas, Brasil e Portugal, e lança na próxima quarta-feira (27), às 19h, a obra ‘O outro entre nós’, contendo as peças ‘A Estrada’, ‘Flecha Borboleta’ e, a ainda inédita nos palcos, ‘Casa d´água’. O artista fará uma noite de autógrafos na Biblioteca Municipal João Bosco Pantoja Evangelista, com entrada gratuita. Para o presidente da Manauscult, Alonso Oliveira, o lançamento é um ato de grande relevância para a prática teatral em Manaus. “Essa compilação cênica representa a fixação em livro do trabalho dramatúrgico de Douglas Rodrigues, ao mesmo tempo em que dará perenidade à sua criação, e principalmente estará mais próxima dos leitores”, assinala Alonso.

Para o evento, 100 convidados entre associações culturais, órgãos públicos, artistas, jornalistas e personalidades se farão presentes e, na ocasião, assistirão a performances da Associação Cultural Arte e Fato, com artistas que participaram das obras encenadas por Douglas Rodrigues e, também, um pocket-show da cantora Márcia Siqueira. Quem quiser adquirir o livro, basta contactar o número de whatsap 99331-7090.

A publicação da trilogia “O outro entre nós”, com apresentações de Robério Braga, Sérgio Cardoso e Zeudi Souza, define a relação do artista Douglas Rodrigues na busca incessante da cena contemporânea para suas obras, estimulando construções participativas, colaborativas e artesanais, durante o processo criativo dos próprios espetáculos. Duas peças dessa trilogia foram várias vezes premiadas, ‘A estrada’ e ‘Flecha Borboleta’, com temporadas em São Paulo, Rio de Janeiro e Portugal, respectivamente. A inédita ‘Casa D´Água’ tem convite para virar roteiro de cinema, e já está registrada na Biblioteca Nacional.

Os processos criativos do encenador Douglas Rodrigues utilizando fatos históricos da Amazônia comos fios condutores de uma escrita contemporânea, o levam a esse lugar de escritor para o teatro. “Esse é o momento de dialogar experiências minhas como encenador fazendo com que esse diálogo como diretor, ator e dramaturgo se concretize de forma tênue, como exercício inevitável para o artista pesquisador, amparando histórias e novas dramaturgias, em busca de uma linguagem pessoal, com o experimento estético que difunde as transformações do homem amazônida, entre as décadas de 50 e 70, de acordo com estudos etnológicos e etnográficos, iniciados na Universidade federal do Amazonas enquanto acadêmico de Filosofia, anos atrás”, disse Rodrigues.

TRILOGIA

Escrita em 2014, a obra ‘A Estrada’ é uma tragédia baseada em relatos reais de sobreviventes do massacre na aldeia Waimiri Atroari durante a construção da BR–174, que liga Manaus a Boa Vista durante o regime militar no Brasil. Já o épico da floresta ‘Flecha Borboleta’, escrita em 2017, é inspirado na Ópera ‘Madama Buterfly’, de Puccini, e narra perigosas consequências do amor entre uma índia arqueira e o expedicionário americano, dialogando com o Massacre de Haximu, julgado pela justiça brasileira no qual os réus foram condenados por genocídio. Baseado em invasões científicas nas aldeias Yanomami, no Norte do Amazonas. Por fim, o drama inédito ‘Casa D´água’ foi escrito para o cinema e conta a história de uma casa, que flutua na enchente histórica do Rio Amazonas em 1954, com uma filha, mãe e um macho encurralados pelas paredes frias e molhadas, com relatos e depoimentos de mulheres violentadas, alicerçando a construção do roteiro cinematográfico.

Temas como progresso, barbárie, batalhas entre índios e invasores, violência, alteridade, choques culturais, abusos sexuais e identidade étnica são abordados na trilogia, distanciando o folclore ingênuo do olhar romântico europeu.

O projeto conta com o apoio da Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), com o Concurso-Prêmio Manaus de Conexões Culturais – Lei Aldir Blanc – Teatro e da Editora Amazônia Et Al.


Lançamento: O OUTRO ENTRE NÓS
Data: 27 de outubro (quarta-feira)
Horário: 19 horas
Local: Biblioteca Municipal João Bosco Pantoja Evangelista

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook

Advertisement

Você pode gostar!

Polícia

O cabelereiro Dayene João de Araújo Barbosa, 38 anos, foi morto a tiros na noite deste domingo (21), na Rua Santa Helena, bairro Zumbi,...

Brasil

Segundo a Comissão de Direitos Humanos da OAB-RJ, agentes teriam depredado o local e feito pichações com referências à milícia.

Economia

As autoridades alfandegárias da China disseram nesta terça-feira (23) que aceitarão pedidos de importação de carne bovina brasileira que tenha recebido certificado sanitário antes...

Tabatinga

Ao todo, o atual Governo destinou, entre obras concluídas e em execução, R$ 36,7 milhões para infraestrutura do município.